terça-feira, agosto 22, 2006

Apelo dos bibliotecários libaneses

O estado de guerra no médio-oriente é permanente e o cessar-fogo entre as Forças de Defesa de Israel e o Hezbollah está ameaçado. Os anos de guerras infindáveis no Líbano destroem vidas inocentes e causam danos sociais profundos. Num país em guerra as bibliotecas sofrem com a destruição que as armas provocam. No Líbano já fecharam mais de 30 bibliotecas desde o início do conflito armado com Israel a 12 de Julho. Os bibliotecários libaneses tentam marcar a sua posição apelando aos congressistas que estão neste momento reunidos no congresso IFLA Seoul 2006.
«Liste des 30 bibliothèques fermées: Aabra, Aachqout, Aaramoun, Aayn Aata, Aayn Baal, Aaytat, Aaytit, Al-Abbassiya, Al-Qaa, Baadarane, Babliyé, Barja, Barr Elias, Beyrouth-Bachoura, Beyrouth-Rmeil, Bint Jbeil, Choueyfat, Haret Hreik-Michel Nabaa, Haret Hreik-Municipalité, Jbaa, Nabatiyeh, Nabi Osman, Qabb Elias, Saadnayel, Saida-Centre Maarouf Saad, Saida-Mosquée Osseiran, Saida-Municipalité, Tripoli-Rue Thaqafa, Tyr, Zawter Al-Charqiyya.»

2 comentários:

Margarida disse...

Rato de Biblioteca,
Boa a iniciativa de divulgar a notícia do Manifesto com os links das informação oficial em várias línguas, sobre a situação dramática vivida pelos libaneses em geral, e em especial, pelas Bibliotecas e Bibliotecários/as.
Estranho que todos os leitores estejam distraídos, não tendo ocorrido um comentário sobre o assunto colocado no Blog: Apelo dos Bibliotecários libaneses. Porquê?

Pedro Príncipe disse...

Agradeço o comentário.
As bibliotecas, infelizmente, vêm apenas engrossar a lista de "danos colaterais" que a guerra provoca.
Aqui os comentários a esta iniciativa escasseiam, mas pode encontrar ecos deste apelos nos espaços na internet, nomeadamente em blogs de profissionais da área de outros países.