terça-feira, novembro 27, 2007

Reflexão sobre "Google search results"

Para já fica a afirmação de George Siemens sobre o valor do conhecimento no contexto actual. Depois virá a reflexão - porque isto é mesmo "conversa para mais um copo" - e nas bibliotecas requerem-se as competências para saber gerir e avaliar a pertinência dos recursos google e a valorização das fontes de informação atribuída pelas ferramentas de pesquisa google.
"The fact is, today's information currency finds its value in connections. And Google is the banker. If you want society to know you exist, you need to be found by search engines".
Parece-me também interessante adicionar a reflexão exposta em
maresta.wordpress.com: "(...) se por um lado a ideia do conectivismo, dos nós de informação, me fascina, por outro lado causa arrepios ver que numa turma de 38 alunos mais de metade cita os mesmos sites na sua bibliografia. que, por acaso e regra quase geral, acabam por ser os sites “top” de uma breve pesquisa no google."

2 comentários:

Nando disse...

Não vejo problema em os mesmos sites serem citados, pq o mesmo, ou pior, aconteceria caso a bibliografia fosse fixa e designada pelo professor. Aí saberíamos que seriam os mesmos "sites" sem precisar nem pesquisar.

O PageRank é baseado muito na conectividade, sim, mas numa conectividade específica, que leva em conta o conhecimento e a confiabilidade. É uma conectividade inteligente e não apenas de "oferta pública".

Não concordo com a parte de "today's information", porque a informação sempre sofreu forte alteração de valor nas conexões que teve, SEMPRE foi assim. A diferença é que hoje está (bem) mais larga a circulação, gerando mais conexões, enquanto antes era mais elitista e limitada. Acho que pode haver uma leve confusão entre o conceito de conexões e disponibilidade pública da informação.

Sobre o valor da informação ser baseado na conexão, não podemos esquecer o exemplo da Wikipedia, que não é fortemente baseada em conexões, e sim em colaboração. E apesar de ser "amadora", é muito especializada e em muitas vezes melhor que o Google (e provavelmente parecida ou melhor que a bibliografia do professor).

Não tenho dúvidas que a Internet e suas melhores ferramentas preservam o conhecimento e sua autoridade, embora suas fontes estejam muito mais passíveis de debates e questionamentos. Isso é uma realidade positiva.

Melhores professores, no entanto, talvez sejam necessários. Para ensinar a meta-linguagem do conhecimento em tempos de Google.

P.S.: If you want society to know you exist, you'll do whatever you gotta do, and that may include search engines. How you'd do yesterday? And the day before? Exactly.

Bruno Duarte Eiras disse...

Olá, Pedro
Apesar de ser totalmente off topic desejo-te um feliz natal.
Abraço